quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Ditadura mata software livre

Software Livre tem data marcada para morrer no governo: 11 de novembro

Luiz Queiroz ... Convergência Digital

Até o próximo dia 11 de novembro, todos os órgãos integrantes do SISP - Sistema de Administração dos Recursos de Tecnologia da Informação - deverão encaminhar manifestação de interesse em adquirir diversas soluções da Microsoft. Apesar de algumas grandes "exceções", é a primeira vez que o governo federal, após a era do PT no poder, compra sistemas proprietários da multinacional e de uma forma tão abrangente.

Ainda não se sabe os quantitativos nem quanto o governo estará disposto a gastar. Isso somente após a manifestação dos interessados se poderá conhecer em volumes e o valor total estimado para a contratação. Mas já se sabe de antemão o que o governo pretende comprar conjuntamente, em software e serviços Microsoft: Office, Windows Professional, Windows Server e Client Access Licence, por meio de licenças perpétuas e subscrições, para atendimento das demandas dos órgãos participantes.

A compra se dará por meio de Registro de Preços, que já tem um identificador para efeito de conhecimento dos interessados: IRP nº 16/2016 - UASG 201057 (esse é o código da Central de Compras no portal Comprasnet).

Não se sabe se a compra será ainda este ano ou não. Mas este portal aposta que será até o final de dezembro, o que representará um belo presente de Natal para as revendas Microsoft, que ao longo dos últimos 12 anos de governos do PT viraram uma espécie de simbolo da gastança e da dependência tecnológica multinacional, em detrimento de outras soluções proprietárias que não sofreram tamanho estigma.

Transparência

Mas a megacompra dessas soluções da multinacional agora significará o "tiro de misericórdia" numa política que sempre foi controversa dentro do governo, pois não foi adotada por organismos politicamente poderosos como, Receita Federal e Banco Central, além dos bancos oficiais. Desde o ano passado, por exemplo, a própria STI -Secretaria de Tecnologia da Informação (antiga SLTI) vinha dando sinais de fraqueza até mesmo no Ministério do Planejamento, quando não foi capaz de impedir que este comprasse soluções e serviços da Microsoft.

O interessante nessa intenção de compra é que ela ainda não era de conhecimento público e ocorre há apenas uma semana depois da Microsoft realizar um evento, de portas fechadas (sem o acesso da imprensa), com integrantes do governo. O evento serviu para a MS anunciar a escolha e a criação em Brasília do seu "Centro de Transparência", que tem por finalidade a segurança cibernética e a troca de informações com governos da América Latina sobre a origem de ataques virtuais.
Participaram do evento o ministro da Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, os secretários, Maximiliano Martinhão (MCTIC) e Marcelo Pagotti (STI), além do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rolemberg e do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Web Analytics