terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Reforma da Previdência para Iniciantes

Leandro Fortes

Depois de ler e reler todo o noticiário a respeito e me debruçar sobre todos os cálculos e previsões estatísticas, rabisquei um resumo didático para facilitar a compreensão dos neófitos:

Vamos todos trabalhar até morrer.

República de Curitiba é bando de loucos que se acreditam ungidos por Deus para salvar o mundo

PM do Rio invade igreja para reprimir trabalhadores

Policial do Rio atira em manifestantes de dentro de igreja


https://twitter.com/jornalextra/status/806182673823780869

Pacote do governo transforma o Rio em praça de guerra

Rio 247 - O protesto dos servidores contra o pacote de arrocho fiscal no Rio de Janeiro está pegando fogo. A Polícia Militar afirmou que seis de seus agentes ficaram feridos até as 14h30. Segundo a corporação, "por volta das 13h, após um discurso inflamado, manifestantes investiram contra as grades da ALERJ com lançamento de bombas e rojõe".

Ao todo, seis policiais militares ficaram feridos, um deles teve um ferimento próximo a vista ocasiona pela explosão de um morteiro. "Os policiais estão sendo socorridos no ambulatório dentro da ALERJ. O BPChq está atuando a fim de retomar a ordem no local", disse.

Assista vídeo:


Manifestantes colocaram capacetes e máscaras e jogaram rojões. A polícia revidou com ao menos 50 bombas. Ativistas responderam com pedras e morteiros. O spray de pimenta chegou até no plenário. O comércio foi fechado e havia relatos de cheiro de gás dentro dos restaurantes.

Veja em que idade você poderá se aposentar se ainda estiver vivo

Se passar o pacote de Temer, veja as novas idades de aposentadoria
Fernando Brito

Como parece que não caiu a ficha, publico aí em cima a idade com que os homens que têm hoje menos de 50 anos e as mulheres com menos de 45 terão de trabalhar para ter direito a não serem descontados na aposentadoria.

A “idade mínima” de 65 anos só valerá para quem começar a trabalhar (e recolher) aos 16 anos de idade. Isso se não tiver, em toda a sua vida, nenhum período de interrupção das contribuições, seja por ficar desempregado ou afastar-se do trabalho por qualquer outra razão.

Como um jovem de classe média só começa mesmo a ter uma relação de trabalho aos 23-24 anos, depois de formado, passa a aposentar-se, se não quiser ter desconto, só aos 72 ou 73 anos, isso se também não tiver o infortúnio mencionado antes.

Em ambos os casos se considerou que, por isonomia, se respeitaria a idade de aposentadoria compulsória estabelecida para o serviço público pela própria proposta, de 75 anos, com os 70 anteriores.

Não adianta respirar aliviado se você tem mais de 50 anos. Você escapou, mas seu filho, não.

Parabéns aos envolvidos



E aí paneleiro com nariz de palhaço, já abasteceu seu carro hoje? Corre lá que talvez dê tempo antes de repassarem 8,1% na gasolina, quase 30 centavos a mais no litro. Não era isso que você queria? Que a Petrobras atuasse como uma empresa independente e de mercado ao contrário de um instrumento de desenvolvimento e política econômica? Puxa, você não tem ações da companhia, que pena. Por que os acionistas estão dando pulos de alegria enquanto você sofre pra abastecer. Só lembrando que isso causa inflação, que leva ao aumento dos juros e menos crescimento. Se você não fosse tão alienado e tivesse acompanhado a política de preços da Petrobrás no governo FHC saberia que isso aconteceria com Pedro Parente lá. Saberia que o golpe era pra isso também. Por que você não pede ajuda para o PATO AMARELO?

Meu drama pessoal dentro da tragédia brasileira


Tenho 56 anos e sou aposentado. 
Tenho previdência complementar. Pouco, mas ajuda. 
Boa parte do pouco que ganhei na vida está investido. Para me quebrar precisa deixar a aposentadoria se desvalorizar E acabar com o cassino financeiro. Ao mesmo tempo!

Sempre votei na esquerda, nunca defendi propostas (neo) liberais. Jamais apoiei golpes, não tenho mais TV por assinatura nem aberta. Não assino nenhum jornal ou revista.

Penso em visitar a Escandinávia no próximo verão europeu.

Na prática, aposentadoria para trabalhadores está extinta

Laura Carvalho

Enquanto eu não tenho tempo de analisar os impactos dessa proposta de Reforma da Previdência sobre os mais vulneráveis -- que morrerão trabalhando -- me permito fazer esse pequeno lamento pessoal, porque o Temer estragou meu dia também.

Comecei a contribuir aos 28 anos. Isso porque fui rápida em concluir o mestrado e o doutorado. A Reforma prevê que só com 49 anos de contribuição eu teria direito a 100% do valor da aposentadoria. Ou seja, aos 77 anos. Infelizmente, a minha aposentadoria compulsória virá aos 75.

Não estudem, trabalhem. Um doutorado pode custar caro demais.

Com a PEC 55 e essa Reforma combinadas, acho que não é nenhum exagero dizer que estamos trilhando o fim da ciência e tecnologia e da própria universidade no Brasil.

Para ganhar teto do INSS, pato terá de contribuir por 49 anos, propõe governo golpista

Para ganhar teto do INSS, pessoa terá de contribuir por 49 anos, propõe governo

Atualmente, o teto do INSS é de R$ 5.189,82, mas este valor é reajustado anualmente com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor.

O trabalhador que desejar se aposentar recebendo o teto do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), atualmente em R$ 5.189,82, deverá contribuir por 49 anos, conforme a proposta de reforma da Previdência Social do governo já encaminhada ao Congresso Nacional. Esse valor é reajustado anualmente com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

Para ter direito à aposentadoria, pela proposta, nenhum trabalhador poderá ser aposentar com menos de 65 anos, quer seja homem ou mulher. Nesse caso, para ter direito ao benefício integral e poder se aposentar aos 65 anos, a pessoa deverá começar a trabalhar com 16 anos de idade e contribuir por todo esse tempo - para quem não tem direito às regras de transição (menos de 50 anos para homens e 45 para mulheres).

Pelas simulações divulgadas pelo governo federal, se uma pessoa tem 65 anos, mas contribuiu somente por 25 anos, por exemplo, ela teria direito 76% do teto do INSS. Com 26 anos de contribuição, o trabalhador passa a ter direito a 77% do valor do teto do INSS e assim por diante até chegar aos 49 anos de contribuição - para ter direito ao teto do INSS.

 Fórmula de cálculo. (Foto: Reprodução/NBR)

Além da idade mínima de 65 anos, com respeito ao chamado "direito adquirido" e estabelecimento de regras de transição, a reforma da Previdência Social, se aprovada pelo Legislativo, fixaria regras para os trabalhadores do setor público e do setor privado, mas não incluem militares. Com as mudanças propostas, o tempo mínimo de contribuição sobe de 15 anos para 25 anos.

A expectativa do governo é que o texto seja aprovado no primeiro semestre do próximo ano pelo Congresso Nacional. Por se tratar de uma mudança na constituição, tem de passar pelos plenários da Câmara e do Senado, em duas votações, com maioria de 3/5 dos parlamentares, além de sessões do Congresso Nacional.

Gilmar Abdelmassih Mendes sugere hospício ou impeachment para Marco Aurélio Cacciola

Guerra nos esgotos de Brasília 
Gilmar sugere inimputabilidade ou impeachment para Marco Aurélio

Por Jorge Bastos Moreno (jornalista chapa branca e porta-voz extra-oficial do usurpador Temer)

Perguntado agora sobre a decisão do ministro Marco Aurélio de afastar o presidente do Senado, Renan Calheiros, o seu colega do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes respondeu ao blog do Moreno que é um caso de reconhecimento de inimputabilidade ou de impeachment. E acrescentou:

— No Nordeste se diz que não se corre atrás de doido porque não se sabe para onde ele vai.

O jornalismo patológico da Globo


Invasão de privacidade e exploração sensacionalista das emoções são traços generalizados na cobertura de grandes tragédias pela mídia. Porém, com a Globo há um elemento mais insidioso: depois de décadas exercendo o monopólio político e comunicacional no País, sua auto-centralidade entrou em metástase através do tautismo (autismo + tautologia). 

A extensa cobertura da tragédia do desastre aéreo do time da Chapecoense deixou mais explícito esse estado patológico no qual a emissora só consegue olhar para além dos muros cenográficos do Projac através de referências que faz de si mesma. Do “turbilhão de emoções” da narração  do velório coletivo por Galvão Bueno à insistência como repórteres e locutores tiveram que demonstrar a si mesmos emocionados (chegando a fazer “selfies” com celulares), chorando e até consolados pela mãe de um dos jogadores, é como se o tempo todo repetissem: “tenho emoções, logo a tragédia é real!”. Chegando a um surreal “Efeito Heisenberg”: o global Galvão Bueno narrando o outro global Cid Moreira lendo a Bíblia com a mesma inflexão de voz com que lia as notícias do “Jornal Nacional” e narrava as peripécias do Mister M.

_____________||||||||||||||||||||||||||_____________

Leia o artigo completo AQUI

Golpe dentro do golpe dentro do golpe...


Jorge Viana pode enterrar o PT para sempre

Luis Felipe Miguel

Enquanto as manobras para restituir o cargo a Renan não vingam, a pressão é para que Jorge Viana se preocupe com a "estabilidade das instituições", a "governabilidade", a "economia" - e não atrapalhe a tramitação das medidas de destruição da Constituição de 1988.

Nem vale a pena gastar saliva apontando a hipocrisia dos políticos conservadores e da mídia, que hoje afirmam ser contrário ao Brasil todo o tipo de comportamento que eles adotaram, elevado à enésima potência, para derrubar a presidente legítima. O fato é que temos outra reviravolta e um político do PT está em posição de, pela força do cargo que passou a ocupar, dar fôlego à resistência.

Ou não. Viana pode também se curvar à pressão da direita, manter o cronograma de votações e mostrar que, embora petista, é um parceiro confiável para os novos donos do poder. E assim sucumbir à tentação, tão forte para alguns integrantes do PT e também do PCdoB, de se adaptar a qualquer jogo que esteja sendo jogado.

Caso a permanência de Viana no cargo se estenda por tempo suficiente para que sua opção fique clara, teremos um divisor de águas. Uma eventual capitulação sua indicaria que não é mais possível contar com o PT, ou pelo menos com amplas alas do PT, para a resistência popular.

Decisão de Marco Aurélio Cacciola de Mello é inconstitucional

Por Lenio Luiz Streck

Escrevo no calor dos acontecimentos.

A decisão do Ministro Marco Aurelio, afastando da presidência do Senado o senador Renan Calheiros, mostrou-se um perigoso equívoco.

Não há previsão constitucional para esse afastamento, como já não havia para o afastamento de Cunha.

Estamos indo longe demais. O Supremo Tribunal Federal não é o superego da nação.

Vou invocar uma frase famosa que eu mesmo fico repetindo e que é da autoria do Min. Marco Aurelio: os poderes da República são Legislativo, Executivo e Judiciário e não o contrário.

Pois bem, Ministro. Pois bem.

De fato, hoje mais uma vez ficou demonstrado o extremo ativismo do STF, contra o qual eu achava que o Ministro Marco Aurélio estava imunizado. Mas, não. Na decisão, o Ministro fala das manifestações de rua.

Ora, a Suprema Corte não é porta-voz do povo.

Ao contrário: nela temos que ver a garantia contra maiorias exaltadas.

A Constituição é o remédio contra maiorias. E o STF deve ser o guardião da Constituição.

Quem disse que a voz das ruas tem legitimidade? Somos duzentos milhões de habitantes e menos de 400 mil foram às ruas.

Isso é fundamentação? Cadê a Constituição?

Sou insuspeito em falar sobre isso. E não tenho simpatia pelo Renan. Sou um conservador em relação ao constitucionalismo. Já muita gente me chamou de “originalista”. Não. Não sou originalista. Sou um jurista que defende a Constituição naquilo que o constitucionalismo foi cunhado pela tradição democrática. Proteção contra injunções morais e politicas.

O Supremo Tribunal Federal, desse modo, comporta-se moralmente. E direito não é moral. A moral não corrige o direito. Quem deve tirar o Presidente do Senado é o Senado.

Seria inconcebível que o Senado ou legislativo lato sensu quisesse tirar o Presidente da Suprema Corte. Onde estão as relações institucionais?

Isso pode não acabar bem. Somos duzentos milhões querendo trabalhar e progredir. Se há corrupção, devemos combatê-la a partir da lei.

Fazer atalhos sempre são perigosos. Saludo.

Lenio Luiz Streck é professor dos cursos de pós-graduação em Direito da Unisinos.

Novo presidente do senado teria decidido suspender votação de pauta anti-Brasil

Viana decide suspender teto de gastos e toda a pauta do Senado

247 - Jorge Viana (PT-AC), futuro presidente interino do Senado,  vai suspender toda a pauta de votações dos projetos de interesse do governo na Casa. Isto inclui o segundo turno da PEC do teto de gastos, a lei de licitações, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e e créditos adicionais. Embora publicamente o petista tenha dado declarações de que não pretende precipitar uma decisão, senadores presentes na reunião de emergência convocada ontem à noite dizem que Viana já está convencido.

As informações (?) são de O Globo.

"Jorge Viana está compreensivo, mas dizendo que suspenderá toda a pauta. O PT não deixará ele tocar a pauta do governo que derrubou o governo deles. Está muito angustiado, não quer prejudicar o Brasil, porém avisa que não tem como votar essa pauta - contou um dos líderes da base presentes à reunião que chegou até quase a madrugada desta terça-feira.

A princípio, Viana ficou de balizar sua decisão de manter ou não a votação do segundo turno da PEC do teto de gastos para o dia 13, levando em conta um possível agravamento dos desdobramentos do afastamento de Renan para a população. Ele disse que ainda não conversou com ninguém do governo sobre isso, e que vai aguardar a reunião da Mesa diretora da Casa e a oficialização do afastamento de Renan, para tomar as primeiras providências.

Renan se recusou a ser notificado na noite de ontem e marcou para esta terça-feira, as 11 horas, na presença da Imprensa, o recebimento da notificação da liminar do ministro Marco Aurélio Mello. Aliados avaliam que Renan pode fazer um discurso duro em resposta ao afastamento, em mais um round no enfrentamento com o Judiciário. O Senado deve entrar com recurso ainda hoje contra decisão do ministro do Supremo Marco Aurélio Mello de afastar Renan.

Informe-se com Reinaldo Azevedo e não seja surpreendido pelos fatos



segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Ditadura dá paulada no bolso do consumidor e gasolina sobe 8,1%


247 - A Petrobras anunciou nesta segunda-feira (5) a elevação de preço da gasolina e diesel na refinaria. O valor do litro de gasolina será reajustado em 8,1%, enquanto o preço do diesel subirá 9,5%. Os novos valores entram em vigor a partir desta terça-feira (6).

A Petrobras justificou a decisão pela variação do câmbio e dos preços do petróleo. "As principais variáveis que explicam a decisão do Grupo Executivo são o aumento observado nos preços do petróleo e derivados e desvalorização da taxa de câmbio no período recente. Por outro lado, a participação da Petrobras no mercado interno de diesel registrou pequenos sinais de recuperação", diz.

Em comunicado, a Petrobras afirmou que, se o reajuste for integralmente repassado ao consumidor, o preço da gasolina pode aumentar 3,4% nos postos de combustível ou (R$ 0,12 por litro). Já o valor do litro do diesel pode subir subir 5,5% nas bombas (ou cerca de R$ 0,17 por litro).

Supremo Tucanato Federal (STF) afasta Renan Calheiros da presidência do senado

Agência Brasil:

Ministro do STF afasta Renan Calheiros do cargo de presidente do Senado

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio decidiu hoje (5) afastar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do cargo da presidente. O ministro atendeu a um pedido liminar feito pela Rede Sustentabilidade na manhã desta segunda-feira.

O pedido de afastamento foi feito pelo partido após a decisão proferida pela Corte na semana passada, que tornou Renan réu pelo crime de peculato. De acordo com a legenda, a liminar era urgente porque o recesso no Supremo começa no dia 19 de dezembro, e Renan deixará a presidência no dia 1º de fevereiro do ano que vem, quando a Corte retorna ao trabalho.

“Defiro a liminar pleiteada. Faço-o para afastar não do exercício do mandato de Senador, outorgado pelo povo alagoano, mas do cargo de Presidente do Senado o senador Renan Calheiros”, decidiu o ministro Marco Aurélio.

O fascismo avança


Professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Os fascistas são pessoas comuns… estão ao nosso lado, convivemos com eles, inicialmente conferimos pouca importância ao fato de serem incapazes de compreender a complexidade da vida e das relações humanas, o caráter plural da existência.

Não é raro até mesmo acharmos graça da ignorância que expressam com tanta autoridade… até que explode a violência.

A violência fruto da intolerância é, há um tempo, o elemento de identificação do fascista e o sinal de alerta de que, absorvida pelo corpo social e normalizada por aqueles que têm o dever de contê-la, já os fascistas não são poucos, organizam-se e reverberam sua estupidez sob o olhar concordante ou condescendente de grande parcela da sociedade.

De todas as consequências produzidas pela ação política de Deltan Dallagnol aquela que é sua responsabilidade direta e pela qual haverá de responder politicamente consiste em insuflar a violência em um quadro de expansão do fascismo.

Dallagnol está obcecado pela “luta contra a corrupção” a ponto de capitanear o ataque mais frontal e escancaradamente anticivilizatório à Constituição de 1988, por meio de propostas que vergonhosa e falsamente divulga como sendo de “enfrentamento à corrupção”.

O fascismo infiltra-se na democracia, vale-se de extratos do discurso democrático para ampliar o leque de influência das ideias de homogeneidade do corpo social, que claro são convite a “expulsar” os diferentes desse “corpo” hipoteticamente salutar, maculado pelos que não professam as mesmas ideias.

O jurista/historiador António Hespanha, em seu “O Caleidoscópio do Direito”, no campo específico da formação dos juristas, adverte para os cuidados que devemos ter se quisermos de fato viver em democracia. O alerta vale para todas as pessoas, não necessariamente apenas para os juristas.

Hespanha sublinha a necessidade do “cultivo de um espírito de contínua autovigilância e autocrítica, que previna a imposição de pontos de vista pessoais ou de grupo aos pontos de vista da vontade popular positivados na ordem jurídica; e, finalmente, de uma sagacidade e perspicácia que desconstrua o contrabando intelectual que consiste em fazer passar por naturais ou gerais as opiniões ou os interesses de um grupo ou de uma parte” (p. 160).

Dallagnol e os que o acompanham nessa empreitada político-midiática, tirando partido da Lava Jato, tentam passar de contrabando propostas de restrição significativa do habeas corpus e outras tantas garantias que a civilização ocidental edificou depois de muito arbítrio, arbítrio fascista, como se tais propostas visassem controlar de fato a corrupção.

Trata-se de “contrabando intelectual”, que não passa em um “tese de integridade das ideias”.

Como um jovem mimado, incapaz de tolerar frustração, vencido no debate na Câmara dos Deputados, instila no lado fascista de nossa sociedade essa sede por sangue – sangue dos que os fascistas identificam como inimigos.

Não há aqui teoria alguma. A agressão praticada contra o jovem fotógrafo Francisco Proner Ramos, em Copacabana, e sua namorada é a consequência inevitável da estupidez em forma de política.

Aos que supõem que haja exagero na avaliação e que conscientemente fecham os olhos diante da escalada de brutalidades que testemunhamos, recomendo que vejam o filme de Christoforos Papakaliatis, “Worlds Aparts” (Mundos Opostos), retrato do fascismo experimentado no berço da autoproclamada Civilização Ocidental, a Grécia.

Um dos episódios leva o sugestivo título: “O bumerangue”. Não tenham dúvida: a violência retorna e deixa cicatrizes profundas.

Minha solidariedade ao fotógrafo Francisco e à namorada na forma de compromisso por lutar sempre e sempre contra o fascismo.

Ps.: A fogueira da violência também é alimentada por reações que rebaixam muitos dos nossos políticos. Há uma grande diferença entre debater, com maturidade e senso crítico, a responsabilidade de magistrados e membros do MP por abusos, e agir irrefletidamente, a passar a impressão incontestável de revanche.

Em geral, excetuando-se os que pensam como Dallagnol, magistrados e membros do MP não são refratários a responsabilização por abusos. Mas todos – pelas mais variadas razões – são contra a intimidação das duas instituições.

Necessitamos mais do que em qualquer época de políticos que não joguem combustível na fogueira fascista.


Geraldo Prado é Professor Titular de Direito Processual Penal na UFRJ

Como ganhar na loteria esportiva


Eu nunca consegui completar nem álbum de figurinha na minha vida. Por isso, passei tempos sentindo tremenda inveja de Miron Vieira de Souza. Goiano da cidade de Ivolândia, Miron acertou sozinho, em setembro de 1975, o teste 254 e ganhou algo equivalente a três milhões de dólares. Encheu a burra. Eram tempos em que a loteria esportiva distribuía prêmios gordos, daqueles que faziam o sujeito resolver a vida de cinco gerações da família. Analisando hoje as treze partidas que deram a fortuna ao cabra, constato que ele ganhou porque não entendia bulhufas de futebol. Fez a aposta mínima, não jogou um mísero duplo e cravou os resultados mais absurdos.

Esse teste 254 foi um passeio na savana; repleto de zebras. O Corinthians empatou com o Rio Negro de Manaus e o Palmeiras empatou com o Nacional, também da capital do Amazonas; um time que à época tinha cinco índios botocudos no elenco. O resultado mais inusitado, porém, e que praticamente deu a Miron o prêmio sozinho, foi o do jogo entre o Vasco, campeão brasileiro do ano anterior, e o América de Natal, em São Januário. O América venceu por 1 a 0.

Quando foi entrevistado sobre o fato de ter sido o único brasileiro a cravar a vitória do América potiguar sobre o bacalhau, a resposta de Miron foi magnífica:

- Achei que era o América do Rio.

Acontece que o América do Rio enfrentou naquele fim de semana o Fluminense [2 x 0 para o tricolor] e o jogo também fez parte da loteria. A explicação de Miron foi mais incrível ainda:

- Eu achei esquisito o América jogar duas vezes no mesmo dia. Por isso é que botei o time ganhando uma e perdendo outra.

A imagem do novo milionário, abrindo um monumental sorriso desdentado, o tradicional sorriso 1001, ganhou os jornais do mundo todo. Miron, um empregado de mercearia que ganhava salário mínimo e só sabia assinar o nome, virou fazendeiro – criador de gado de corte – e colocou uma dentadura cheia dos salamaleques, daquelas de garoto propaganda da Corega Tabs. O sorriso banguela, porém, ficou consagrado como uma das imagens marcantes do século XX.

Esta reportagem fala também do Dudu da Loteca, um ganhador da loteria de Madureira que torrou a grana fazendo maluquices e ficou durango kid em curto espaço de tempo. E reparem a emoção de Miron comemorando o prêmio e levantando a camisa para secar as lágrimas com um inacreditável brinquedinho na cinta.


O principal problema do Brasil não é a corrupção, mas a estupidez

Em defesa do agronegócio e do genocídio indígena 
Estúpidos corruptos 
Alex Solnik 

A imensa e sinuosa faixa com a inscrição "Congresso corrupto" carregada sobre as cabeças pelos organizadores da marcha da insensatez na Avenida Paulista para ser vista pelas câmaras instaladas em helicópteros resume a ignorância, estupidez, contradição, sordidez, irresponsabilidade, inconsequência, desonestidade, ignomínia, mau-caratismo, indecência, covardia, demagogia, delírio, loucura, calhordice dessa gente e de todos os que os acompanharam.

Com destaque para Regina Duarte, que já foi a namoradinha do Brasil, a musa das Diretas e agora faz o papel de coveira da democracia.

Com que cara eles marcham sob essa palavra de ordem se esse mesmo "Congresso corrupto" aprovou, há três meses, um impeachment sem crime, com apoio dessa turba?

Ninguém saiu na rua então para denunciar o "Congresso corrupto".

Com que cara eles marcham sob essa palavra de ordem se esse mesmo "Congresso corrupto" aprovou, há duas semanas, a PEC do Teto dos Gastos Públicos, com apoio dessa gente?

Ninguém saiu na rua, então, para denunciar o "Congresso corrupto".

Não há dúvida que há muitos políticos corruptos no Congresso, mas não todo o Congresso.

Não há dúvida que há muitos brasileiros que não são políticos também corruptos, mas não todos os brasileiros.

E não só por roubar.

Corruptos também são os que corrompem a palavra "democracia" arrogando-se em paladinos do combate à corrupção.

O principal problema do Brasil não é a corrupção, mas a estupidez.

MBL organiza passeata

Brasil: o inferno é o limite

Sylvia Moretzsohn 

Eu concordo muito com a afirmação que a matéria puxou para título, e creio que a pergunta ao final da entrevista acabou não sendo devidamente valorizada, porque aponta para uma perspectiva sombria que sempre foi o meu maior temor desde a derrubada do governo: "Nós teremos força para impor a realização de eleições?".

Desde o início eu suspeito que não teremos 2018, porque não há golpe que respeite o calendário eleitoral. Sobretudo diante do aprofundamento da crise, que, pelo visto, é o que temos pela frente.
Pois é claro: quando se rompe a legalidade democrática, o inferno é o limite.

Mas discordo muito de pelo menos dois argumentos nesta entrevista, ambos relativos à comparação entre 64 e agora:

1. De fato, é interessante assinalar que em 64 o golpe foi contra a expectativa de mudança. Já o de agora foi contra a experiência da mudança. Mas, se essas mudanças foram um processo "extraordinariamente amplo e profundo", como explicar a ausência de resistência?

2. De fato, em 64 o golpe foi "estrategicamente concebido e acumulado" desde dez anos antes (abortado pelo suicídio de Getúlio e depois tentado por várias manobras que o Franklin enumera). Mas isto não é uma diferença, e sim uma semelhança (notável semelhança, compatível até com o período de gestação, de uma década) com o que aconteceu agora. Porque este golpe começa a se produzir em 2005, com o Mensalão, que põe em marcha a articulação do Judiciário em todo o processo que depois se escancara na Lava Jato e nessas inacreditáveis "Dez Medidas" contra a corrupção, que nos levam de volta aos tempos inquisitoriais.

Franklin também relaciona, entre os erros do PT, a falta de "debate político". Creio que é mais que isso: é a falta de educação e organização política, a falta daquele trabalho de base indissociável da tal "inclusão pelo consumo" dessa massa de gente marginalizada, sem o qual não se logra a indispensável consciência política entre os que podem e precisam reagir contra esse escandaloso retrocesso que pretendem nos impor.

_________|||||||||||||||||||||||||||||_________

Matéria do Sul21

Alt-right: internet coloca os imbecis diretamente no governo

Equivalente americano dos coxinhas brasileiros 
Internet impele extrema direita nos EUA
José Eduardo Mendonça

Nem os aloprados que hoje “governam” o Brasil chegaram ao extremo de colocar ideólogos de extrema direita como Reinaldo Azevedo ou Olavo de Carvalho em postos chaves do governo. Mas foi exatamente isso o que fez Donald Trump, colocando uma pessoa como Stephen Bannon, um guru da direita, no papel de um dos principais mentores de sua agenda.

Bannon é ex-presidente do Breitbart News, um  site muito influente e megaconservador, defensor do nacionalismo dos brancos e mesmo do racismo. É uma das pessoas por trás de um movimento que se convencionou chamar de “alt-right”, ou direita alternativa. O termo não é novo, mas começou a ser disseminado com mais força durante a campanha de Trump, tendo já sido usado em sites populares como Fox News, World Net Daily e CNS News.

Trump, que se distanciou do termo, pode ter tido um papel importante para colocá-lo no léxico conservador.

“Ninguém nem sabe o que é alt-right”, disse o presidente eleito à CNN em agosto. “Francamente, não existe alt-right ou alt-letf. Tudo que defendo é o senso comum”. Mas apenas a menção feita por ele chamou a atenção de mais conservadores.

O termo é um movimento difuso composto principal, mas não inteiramente, de nacionalistas brancos. Estiveram entre os primeiros e mais ruidosos apoiadores de Trump, vendo nele o primeiro candidato na história moderna aberto a ideias sobre a necessidade de proteger a raça branca – reduzindo o número e a influência de afro-americanos, hispânicos, muçulmanos e judeus.

Mas o que o movimento quer dele? Em primeiro lugar, preservar o status dos EUA como uma nação de maioria branca, ao desejar que o presidente siga as diretrizes mais extremas sobre imigração que discutiu, como a deportação de 11 milhões de imigrantes não documentados, e a proibição da entrada de muçulmanos no país, informa o Seattle Times. Com a ajuda de sites frequentados por multidões, como o Breitbart, que teve 86 milhões de visitantes em outubro.
Web Analytics